Pagaremos nós pela crise?

Pagaremos nós pela crise?

Em busca de apoio político, o governo propôs o refinanciamento da dívida dos estados, abrindo mão de receber 45 bilhões de reais nos próximos dois anos. Para ter direito às benesses, os estados devem assumir os seguintes compromissos:

a) 24 meses sem reajuste salarial
b) 24 meses sem nomeação de novos servidores
c) Aumento da contribuição previdenciária de 11% para 14%

O projeto deverá ser aprovado na Alerj. Nós temos que impedir!

A nossa luta não é apenas para receber em dia. Corremos grande risco de perder direitos. Se você ainda não entendeu a gravidade da situação, veja uma simulação do quanto você perderá até 2018, tomando-se por base o valor de R$ 1.000,00:

–  Sem reajuste em setembro 2015 (9,88%): R$ 1.000,00 passaram a valer R$ 901,20
–  Sem reajuste em setembro 2016 (10% ): Passa a valer R$ 811,08
–  Sem reajuste em setembro 2017 (10%): Passa a valer R$ 729,97
–  Sem reajuste em setembro 2018 (10% ): Passa a valer R$ 656,97
–  Aumento previdenciário de 11% para 14%: Passa a valer R$ 637,26

Então, se aprovado o projeto do governo, para cada R$ 1.000,00 que você recebia em agosto de 2015 você só receberá de fato R$ 637,26 em setembro de 2018. E você perde duas vezes: Perde o que deixa de ganhar por falta de reajuste; e perde porque passa a pagar mais caro por tudo, porque os preços são reajustados de acordo com a inflação, reduzindo ainda mais o seu poder de compra.

O prejuízo será nosso! Então a luta é nossa!

Não somos os culpados pelas isenções bilionárias que quebraram o estado ou pelo gasto irresponsável do dinheiro público que hoje faz falta! Então não podemos pagar por uma crise a que não demos causa! Temos famílias para sustentar e contas a pagar! E merecemos respeito!