Carta aberta aos Executivos

logo

A Associação dos Executivos Públicos do Estado do Rio de Janeiro – EXEC-RIO, vem a público externar sua posição em repúdio ao completo desgoverno que o Estado do Rio de Janeiro vem passando nos últimos dias, onde vê-se chefes de diversas pastas promovendo um verdadeiro terrorismo institucional ameaçando demitir servidores concursados, sem buscar nenhuma outra medida efetiva de redução de gastos, colocando assim em risco princípios da administração pública e a povo em geral que será direta e indiretamente afetado por essas decisões temerárias.

Desrespeitar os direitos dos servidores viola frontalmente direitos básicos da população. O governo vem divulgando tendenciosamente que o problema dos gastos públicos tem sido o funcionalismo, quando, até nesse sentido omite informações descaradamente quando diz ter aproximadamente 8.000 (oito mil) cargos comissionados quando na verdade tem mais de vinte mil cargos comissionados, 8.789 na administração direta e 11.866 na administração indireta.

Além desse vilipêndio ao direito de informação, o governo vem por meio de seus Secretários de Estado promovendo institucionalmente um verdadeiro desserviço ao colocar na mira, de seus supostos meios de economia, a exoneração de servidores públicos concursados, que sem dúvida nenhuma foi um dos maiores ganhos da Constituição Federal de 1988 ao garantir este meio de ingresso em detrimento de outros, evitando assim que continuasse o ranço patrimonialista e nepotista que até hoje ferem as veias da administração pública.

Ademais na situação caótica em que o Estado do Rio de Janeiro, prospecta-se um futuro tenebroso onde o servidor que atualmente não tem certeza do seu próximo salário, não terá aumento pelos próximos anos, com projetos de leis de congelamento de salários, além do vilipêndio à Constituição Federal, pois o estado além de não demonstrar transparência em suas contas, pretende que seus servidores paguem por sua má gestão e decisões arbitrárias.

Posto isto, a EXEC-RIO vem a público manifestar o seu repúdio a atual conjuntura política e ao desgoverno do Rio de Janeiro, externando desde já que está atenta ao distanciamento dos valores constitucionais tomado pelo Estado e que buscará por todos os meios resguardar os direitos dos servidores e seus familiares.

 

DIRETORIA COLEGIADA

Posted in Sem categoria.